Livro: A Última Carta de Amor

CAPA-A-Última-Carta-de-AmorTítulo: A última carta de amor

Autor: Jojo Moyes

Editora: Intrínseca

Número de páginas: 378

Lançamento: 2012

Pontuação: ❤ ❤ ❤ ❤ ❤

 

Sinopse: Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. Novamente em casa, com o marido, ela tenta sem sucesso recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por “B”, e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante. Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido — em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado —, Ellie começa a procurar por “B”, e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas de seu próprio relacionamento. Com personagens realísticos complexos e uma trama bem-elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.

Jojo Moyes, mais uma vez, desperta nossa atenção e tira nosso fôlego com uma história de amor arrebatadora, ou melhor, duas histórias, nos fazendo mergulhar na vida dos personagens e nos prendendo até a última página. Confesso que eu “comi” o livro rsrs. Como eu já havia lido outros dois livros de Moyes – Como eu era antes de você e Um mais um (próxima resenha!) – já sabia que não podia esperar menos que o melhor desse livro.

A trama possui duas protagonistas – Jennifer Stirling, que vive na década de 60, e Ellie Haworth, que vive nos anos 2000. O livro é dividido em três e a maior parte dele gira em torno de Jennifer. Quando comecei a ler achei meio confuso, já que os capítulos vão se alternando em como era a vida de Jennifer antes e como ficou depois do acidente, então é bom prestar um pouco mais de atenção para entender a história. Mas mesmo assim, a leitura não é difícil, é leve e fácil de se situar nessa questão do tempo. Uma coisa que também chamou bastante minha atenção é que entre um capítulo e outro vem trechos de cartas, mensagens de amor de pessoas que própria autora pesquisou para acrescentar ao livro.

Estarei na plataforma 4, às 19h15, sexta – feira à noite, e nada no mundo me faria mais feliz do que você encontrar coragem para vir comigo.

Saiba que você tem meu coração, minhas esperanças, em suas mãos.

Seu, B.”

A história fala sobre as idas e vindas do amor, sobre traições e sentimentos que podem durar o resto da vida e as “loucuras” que fazemos para viver tais paixões. A autora também nos presenteia com duas personagens distintas e como o papel da mulher na sociedade mudou com o passar dos anos. Além disso, Jojo Moyes consegue fazer com que essas duas mulheres se cruzem, mudando o rumo de suas vidas para sempre.

Super recomendo o livro e garanto que a leitura será ESPETACULAR!!!!!!

 

Por Julieta: Renata Guimarães

Livro: O Rouxinol

91rxk2tvYJL._SL1500_Título: O Rouxinol

Autora: Kristin Hannah

Gênero: Ficção

Lançamento: 2015

Páginas: 432

Editora: Arqueiro

Pontuação: ❤ ❤ ❤ ❤ ❤

Sinopse: “França, 1939: No pequeno vilarejo de Carriveau, Vianne Mauriac se despede do marido, que ruma para o fronte. Ela não acredita que os nazistas invadirão o país, mas logo chegam hordas de soldados em marcha, caravanas de caminhões e tanques, aviões que escurecem os céus e despejam bombas sobre inocentes. Quando o país é tomado, um oficial das tropas de Hitler requisita a casa de Vianne, e ela e a filha são forçadas a conviver com o inimigo ou perder tudo. De repente, todos os seus movimentos passam a ser vigiados e Vianne é obrigada a fazer escolhas impossíveis, uma após a outra, e colaborar com os invasores para manter sua família viva. Isabelle, irmã de Vianne, é uma garota contestadora que leva a vida com o furor e a paixão típicos da juventude. Enquanto milhares de parisienses fogem dos terrores da guerra, ela se apaixona por um guerrilheiro e decide se juntar à Resistência, arriscando a vida para salvar os outros e libertar seu país. Seguindo a trajetória dessas duas grandes mulheres e revelando um lado esquecido da História, O Rouxinol é uma narrativa sensível que celebra o espírito humano e a força das mulheres que travaram batalhas diárias longe do fronte. Separadas pelas circunstâncias, divergentes em seus ideais e distanciadas por suas experiências, as duas irmãs têm um tortuoso destino em comum: proteger aqueles que amam em meio à devastação da guerra – e talvez pagar um preço inimaginável por seus atos de heroísmo.”

Se eu tivesse que definir esse livro em apenas uma palavra, seria… Bom, não seria nenhuma! Qualquer adjetivo seria pouco. Kristin Hannah é uma autora veterana e especialista em tratar de laços familiares, amorosos e de amizade. O Rouxinol foi o primeiro livro que li de Hannah e fiquei apaixonada! Então, vamos à resenha!!!

Vianne e Isabelle Rossignol são irmãs que passam por problemas que acabam as afastando. Primeiro, Julien, seu pai, é convocado para na lutar na 1º Guerra Mundial, e volta um homem completamente diferente. Segundo, a mãe das duas morre, deixando o pai mais transtornado. Vianne, 10 anos mais velha, acaba ignorando Isabelle que, por sua vez, cresce se sentindo sozinha e pouco amada mas que não deixa sua personalidade forte e seu desejo de fazer a diferença de lado. Vianne conhece Antoine, com quem tem uma filha aos 17 anos e vai construir sua vida, o que a distancia mais de sua irmã. Isabelle é mandada para internatos, e cria dentro de sim sentimentos de revolta e abandono.

Alguns anos depois, já em 1939, começa a se espalhar pela França e pelo mundo rumores de umas 2º Guerra Mundial. Mas o que eram apenas rumores se transforma em um banho de sangue inocente e no avanço da tropas de Hitler sobre a França. Isabelle que acaba voltando a morar com o pai em Paris, após bombardeios, se vê obrigada pelo pai a ir embora e morar em Carriveau com sua irmã. Enquanto isso, Vianne recebe a notícia de que Antoine, seu marido, foi convocado para lutar na guerra. Muito antes de chegar onde a irmã mora, no meio de um engarrafamento de gente tentando se salvar, Isabelle conhece Gaeton, um guerrilheiro por quem se apaixona e decide se juntar a Resistência, realizando seu sonho de ser uma heroína assim como a ativista política Edith Cavell.

As luzes se apagam por toda a Europa; Nunca mais as veremos acesas.”

Sir Edward Grey

Uns dias depois, Vianne encontra Isabelle no celeiro de sua casa, sozinha – Gaeton a havia deixado durante a noite – e recebe a irmã. Quase ao mesmo tempo, Vianne é obrigada a aquartelar um oficial alemão em sua casa, tendo que submeter ao inimigo para sua sobrevivência e de sua filha, Sophie. Algo que Isabelle detesta. Do lado de fora, com a França toda ocupada, cartões de racionamento começam a ser distribuídos,  milhares de pessoas passando fome, algumas pessoas começando a serem chamadas para campos de concentração. No meio disso tudo, Isabelle consegue se juntar a um grupo que luta pela libertação da França, o que começou com apenas alguns folhetins sendo entregados, se transforma em algo grandioso podendo arriscar sua vida. Tais irmãs se veem em lados opostos de uma guerra e vivem uma verdadeira batalha dentro de sim para defender o que acreditam e pelo bem daqueles que amam. Notam o quanto são frágeis e o quanto a vida poder ser frágil. E percebem que os caminhos que trilham podem afastá-las ou aproximá-las.

Sorri para os dois, meus dois meninos que deveriam ter me alquebrado, mas que de alguma forma me salvaram, cada um à sua maneira. Por causa deles, agora sei o que é importante, e não é o que eu perdi. São as minhas lembranças. Feridas cicatrizam. O amor perdura. Nós continuamos.”

Neste livro, kristin Hannah criou personagens marcantes com uma história incrível. Teve momentos que eu sentia que estava lendo fatos reais. A forma como ela descreveu a guerra e o sofrimento das pessoas foram impecáveis e doloridos, tinha horas que eu queria gritar:“Meu Deus! Isso não pode estar acontecendo!” . Um dado interessante é que alguns poucos capítulos são narrados por uma das irmãs, porém só se descobre qual delas narra no final. E é legal ver como as mulheres devem ter tido um papel muito importante na guerra. O Rouxinol me fez refletir, pensar, chorar. Não é uma história somente para ser lida, é uma história para ser sentida. Para quem gosta de variar e sair um pouco do clichê, pode ler com tranquilidade, clichê zero. E a leitura, ah… essa daí é arrebatadora! O Rouxinol é mais do que recomendado!!!

Por Julieta: Renata Guimarães

Livros: O Duque e Eu

O_DUQUE_E_EU_1364482176BTítulo: Os Bridgertons – O Duque e Eu

Autora: Julia Quinn

Gênero: Ficção/Literatura estrangeira/Romance

Ano: 2013

Páginas: 288

Editora: Arqueiro

Pontuação:

 

Sinopse: Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.

O livro O Duque e Eu, da série Os Bridgertons, é o primeiro de uma série de oito livros.  A família é composta por oito irmãos e sua mãe, Violet Bridgerton. Cada livro conta a história de um irmão, e até agora foram lançados seis livros da série no Brasil. O enredo é de época, se passando no século XIX, em Londres. Onde vemos uma sociedade em que sua maioria vive de títulos nobres, marcada por mães casamenteiras, filhas loucas por um marido e homens que valorizam sua liberdade.

Nesse primeiro livro, acompanhamos a história de Daphne Bridgerton, a quarta filha de Edmund e Violet Bridgerton. Porém, perdeu seu pai quando tinha apenas 10 anos. Confesso que me apaixonei pelo livro desde o primeiro capítulo. Daphne é uma jovem muito bem-humorada, bonita, educada e inteligente, mas nunca consegue atrair os olhares certos para si. A partir do momento que conhece Simon, o Duque e também um dos maiores libertinos, viram amigos e fazem um acordo: ele ajudaria a atrair pretendentes decentes para ela, enquanto ela ajudaria a mantê-lo afastado das mães e filhas loucas por casamento. Mas o que eles não contavam era que essa aproximação poderia levá-los a sentir algo mais um pelo outro. E apesar de Simon gostar muito de Daphne não consegue se entregar ao amor por problemas do passado (problemas esses contados no livro). Será que Daphne consegue fazer com que Simon supere tudo o que o prende de ser feliz?

Ele ficou sem ar. Até então ela estivera oculta nas sombras, e tudo o que ele havia conseguido discernir de sua aparência tinham sido os cabelos fartos e escuros. Mas agora, quando ela levantou a cabeça para encará-lo, Simon constatou que tinha olhos grandes, também escuros, e a boca mais larga e exuberante que ele já vira. Seu rosto formato de coração não era bonito segundo os padrões da sociedade, mas alguma coisa nele o deixou sem fôlego.”

No livro também encontramos a fofoqueira da cidade, a Lady Whistledown, uma escritora que não revela a sua identidade. Ela sabe tudo de todo mundo – até porque ela é um dos membros da alta sociedade – tem um humor marcante e é um dos personagens mais engraçados do livro. E esse é o ponto chave, cada personagem tem o seu jeito, porém todos tem um bom-humor próprio, o que deixa a história leve e bem divertida. Como exemplo temos também a matriarca da família, Violet, uma mãe amorosa, que zela pelo seus filhos, mas que tem o sonho de ver todos casados. Ela é encantadora, engraçada e um tanto espevitada. E Colin, um dos irmãos mais velhos de Daphne e também seu preferido, que cativa com seu humor negro – e particularmente, ele é um sonho rs.

A autora é maravilhosa, conseguiu articular muito bem cada personagem e eu realmente senti que estava em outra época. Apesar de muitos pensarem que romances de época possuem uma linguagem difícil, esse não! Ela conseguiu unir bem o contemporâneo com o século XIX, sem deixar nada a desejar. A escrita prende do início ao fim e faz com que você queira saber logo as histórias dos outros irmãos. Talvez o que sintam mais falta possa ser o pouco detalhe da aparência dos personagens, o que para mim não interferiu em nada, pois percebi que a intenção foi deixar tudo o menos maçante possível e garanto que a autora conseguiu fazer isso muito bem. O livro é bem inteligente e divertido, e de acordo com as críticas Julia Quinn tem sido considerada como Jane Austen contemporânea, não é pouca coisa né?! rss.  Super recomendo a leitura e pra quem gosta de romances de época como eu, com certeza vão se apaixonar! E como são oitos livros, a cada semana estarei trazendo a sinopse de cada um dos que já foram lançados.

Boa leitura!!!

 

Por Julieta: Renata Guimarães

 

Livros: Como eu era antes de você

9fa41bf7ae7df66ba33fba1e7d82ea4cTitulo: Como eu era antes de você

Autor: Jojo Moyes

Ano: 2013

Páginas: 320

Editora: Intrínseca

Pontuação: ❤ ❤ ❤ ❤ ❤

“Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe. Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.”

 

Estou lhe dando isso porque poucas coisas ainda me fazem feliz, e você é uma delas”. “É isso. Você está marcada no meu coração, Clark. Desde o dia em que chegou, com suas roupas ridículas, suas piadas ruins e sua total incapacidade de disfarçar o que sente. Você mudou a minha vida (…)”.

Não se apaixonar pela história de Louisa Clark e Will Traynor é praticamente impossível, não tem como ficar imune a esse amor tão inusitado e puro. Will era um homem muito ativo, mas sua vida muda depois que sofre um acidente e fica tetraplégico. Logo depois conhecemos Louisa, que quando fica desempregada acaba conseguindo o trabalho de cuidadora de um deficiente que acaba sendo Will, e nesse contrato de 6 meses nós começamos a acompanhar a história dos dois juntos. Os primeiros contatos dos personagens não são nada fáceis e de cara percebi que a relação entre eles ia ser difícil, mas com o desenrolar da história a amizade entre os dois vai crescendo e se tornando sólida, e com ela vem as mudanças na vida de cada um. Nisso eu fui me apaixonando cada vez mais pelos personagens, e o quão humanos eles são, com seus inúmeros problemas, frustrações, pequenas alegrias, a vontade de lutar pelo que deseja, coisas que encontramos no nosso dia a dia e até mesmo em nossas vidas. Louisa chega na vida de Will quando ele mais precisava, e é muito bonito ver o quanto eles crescem juntos, em como ele a ajuda mesmo com as suas limitações e mostra que é importante que ela cresça, mude alguns pensamentos e amplie seus horizontes, e ela que mostra a ele, um homem sem muitas esperanças, as possibilidades da vida e como é possível ser feliz mesmo com certas limitações. E assim eles vão descobrindo o amor juntos, e eu claro fui derretendo junto.

Eu poderia ficar ali a noite inteira, acima do resto do mundo, o calor da mão de Will na minha, sentindo que o pior começava a escoar devagar de dentro de mim.”

Eu conheci esse livro em umas das minhas “andanças” nas livrarias, olhei a capa e pensei que seria bem água com açúcar, ledo engano! Jojo tem uma narração maravilhosa, bem fácil de deslizar nas palavras, na qual ela colocou além do romance em si, problemas verdadeiros que os cadeirantes enfrentam, preconceitos, o valor de uma amizade e muitas outras coisas. A ressaca literária que tive com esse livro foi absurda, fiquei quase duas semanas sem ler outro porque só pensava nessa história que me fez rir, chorar (horrores), me apaixonar e refletir sobre muita coisa. Acho que maravilhoso é uma boa palavra pra definir esse livro que eu amei do começo ao fim, a história me emocionou de uma maneira absurda, e com certeza ele está nos meus favoritos. Então se você quer um livro que te deixe bem extasiado eu super recomendo esse.

PS: O livro virou filme e tem data de estréia prevista para 3 de junho de 2016, já estou ansiosa! rs

Por: Mayara Corrêa.

Livro: A vez da minha vida

DSC08344

                                                                      Reprodução: imagem da internet

Certo dia, quando Lucy Silchester volta do trabalho, encontra um envelope de ouro no tapete. um convite dentro dele para se encontrar com a Vida. Sua vida. Pode soar peculiar, mas Lucy leu sobre isso em uma revista. De qualquer forma, ela não pode ir ao encontro: ela está muito ocupada desprezando seu emprego, fugindo de seus amigos e evitando sua família.

Mas a vida de Lucy não é o que parece. Algumas das escolhas que fez – e histórias que contou – também não são o que parecem. Desde o momento em que ela conhece o homem que se apresenta como sua vida, as meias-verdades serão reveladas totalmente, a não ser que ela aprenda a dizer a verdade sobre o que realmente importa. Lucy Silchester tem um compromisso com sua vida. E ela terá de cumpri-lo.”

Eu, particularmente. amei esse livro!!! Ele é emocionante, engraçado e, de certo modo, reflexivo. Como está a sua vida? Talvez esteja boa ou talvez não. É exatamente desse assunto que o livro trata: quando nos preocupamos com coisas bobas; quando mentimos, sem motivos, para as pessoas e para nós mesmos; quando não vivemos a vida da maneira que a mesma deveria ser vivida. Você tem se dedicado à sua vida? E se você tivesse a chance de mudá-la, mudaria?

“Se a vida lhe enviar uma chance, aproveite e viva!”

      Por: Renata Guimarães